<$BlogRSDURL$>

INACREDITABILIDADES

28.4.04

Hit the road Jack! 

Eu cá pr'a mim...
Não há, ai não
Maior prazer
Do que o selim
E a mulher!!

Rédea na mão
A cavalgar...
Digam lá
Se isto é ou não
Viver

Hoje estou com alma fadista e marialva. É espantoso como antes do 25 de Abril a Feira da Golegã não estava conotada com os "ares" de extrema direita que hoje em dia tem.
Estou pouco inspirado...de modo que vou à minha vida e ....IF.... então volto...
Como disse o McArthur: I'LL BE BACK!!!

26.4.04

Estou piurso!!!! 

Estou tremendamente mal disposto!!! Então não é que mandaram suspender as obras do túnel do Marquês? Como sempre foi dito faltam os estudos de impacto ambiental…Certo certíssimo! Mas quem é que vai ser responsabilizado pela quantidade enorme de massa que vai custar a mais a dita obra com esta paragem? E quem é que vai pagar? Os suspeitos do costume? Algum chefe de serviços que não avisou o Exmo. Senhor Presidente da Câmara que faltavam os sobreditos estudos. Está feito! Adorava saber quem é que vai pagar o prejuízo!!!

23.4.04

Para o fim de semana... 

Isto foi retirado de uma publicação ao que suponho russa.
Bom proveito.

São dois os principais problemas de Portugal: os poucos pessimistas profissionais que, passam a vida, a contaminar o resto da população, e uma governação inadequada, ineficiente, ineficaz e fora de contacto com a realidade do país. Que Portugal e os portugueses têm inegáveis qualidades, não hajam dúvidas. Não é por nada que Portugal é um país independente e a Catalunha, a Bretanha, a Escócia e a Bavária o não são. Não é por nada que o português é a sétima língua mais falada no mundo, à frente do alemão, do francês e do italiano. No entanto, estas qualidades precisam de ser cultivadas por quem foi eleito para liderar e dirigir o país. O que acontece é que, nem agora, nem por muito tempo, Portugal tem tido líderes dignos do seu povo, capazes de liderar a nação, realizar os projectos que foram escolhidos para realizar. O resultado é uma onda de pessimismo, no meio de um mar de desemprego, desinteresse e desorientação que serve de combustível para a economia emocional não funcionar, aquela economia que é tão importante quanto a economia das quotas de oferta e procura. A consequência é uma retracção não só da economia mas também do psique da sociedade, com uma introversão patológica a manifestar-se no escrutínio colectivo do umbigo nacional, ou um pouco mais abaixo.



A "não-história" da pedofilia, já uma psicose nacional, é um belíssimo exemplo de até onde pode chegar uma sociedade quando nem é orientada nem estimulada a pensar em horizontes mais saudáveis. Há mais de um ano, a imprensa portuguesa regurgita a história do abuso sexual de meninos do orfanato/escola Casa Pia, apontando nomes sonantes da vida pública que nem têm lugar aqui, visto que até ser provado ao contrário, uma pessoa numa sociedade civilizada, é considerado inocente.



A busca de quem foi ou quem não foi, deu origem ao levantamento na praça pública, de uma lista substancial de nomes do mundo artístico, desportivo, e político, aos mais altos níveis. Não é a causa do pessimismo em Portugal, mas espelho dele. A noção de que, "nós não prestamos, somos os coitadinhos da Europa e a alta sociedade é podre", ouvia-se nos finais dos anos 70, desapareceu e com a não governação do primeiro-ministro José Barroso, voltou. Está tangível, quanto mais para um estrangeiro que ama e estuda este país há 25 anos.



Outra manifestação deste pessimismo é a negatividade ao nível das conversas nos cafés (inaudíveis nos claustros de cristal onde pairam os governantes do país) à cerca de um evento que, a priori, é a melhor hipótese que Portugal alguma vez tem tido para se projectar na comunidade internacional? O Euro 2004.



O Euro 2004 é o ponto desportivo mais alto na história quase milenar de Portugal. É um dos três mais vistos eventos televisivos do mundo e é uma excelente oportunidade de enterrar, de vez, a falácia que Portugal é uma província espanhola. Mas o que é que acontece? Enquanto o resto da Europa se prepara com entusiasmo para o Campeonato da Europa em Futebol, ouve-se em Portugal, por todo o lado, que os estádios não estão preparados, ou que não são seguros, ou que os aeroportos não estão adequados, ou que vai haver problemas com o hooliganismo, ou com terrorismo. Disparate! Ou pior, uma vergonha, por quem perpetua este tipo de lixo que, por aí, se chame notícias.



Para começar, os estádios estão tão prontos que já se joga futebol neles. Segundo - as normas de segurança tem de obedecer a rigorosíssimas normas de controlo estipuladas pela inflexível UEFA. Terceiro - os aeroportos têm dos sistemas mais avançadas de controlo de tráfego aéreo, total e completamente integrados nos da União Europeia e mais, os adeptos não vão chegar todos no mesmo dia, nem todos de avião. Quarto - quando os bilhetes foram vendidos na Internet, foi consultada a base de dados proferida pelas forças policiais dos países presentes no Euro 2004. Quinto - Portugal é alguma vez um alvo para ataques terroristas, desde quando? Só se fossem as FP-25 de Abril. Porém, onde estão as autoridades a explicarem a verdade, a estimular a população, a instilar o optimismo, não só para o Euro 2004 mas, para galvanizar a economia, para liderar o país? Exactamente onde estiveram, estes ou outros, quando os interesses dos portugueses estavam a ser vendidos por um preço barato, o que levou gradualmente à situação actual em que uma família portuguesa gasta, substancialmente mais do seu ordenado em necessidades básicas do que no resto da Europa.



Não se admite que num supermercado espanhol, se encontrem, exactamente os mesmos produtos, bem mais baratos do que em Portugal, não se admite que no Reino Unido o cesto básico de alimentos custe bastante menos, quando se ganha cinco, seis ou sete vezes mais. Há duas semanas, vi três restaurantes no centro de Londres com o cartaz "Comam o que quiserem por £5.45 - 9 Euros, ou um pouco menos. Os portugueses gastam uma fatia tão grande do seu ordenado em mantimentos fundamentais que não há capital disponível para os serviços, restringindo a economia a um modelo básico e muito primário. Se bem que Portugal é um país pequeno, também o é a Bélgica, a Dinamarca, os Países Baixos, o Luxemburgo, a Suíça ou a Irlanda. Estes países têm um plano de médio e longo prazo e nestes países ganham os lugares de destaque pessoas competentes e devidamente qualificadas e formadas.



Em Portugal, o plano é ganhar as próximas eleições, ponto final. O que acontece depois? Há uma onda laranja (PSD - actual governo) ou cor-de-rosa (PS - governo anterior) a varrer o país e a ocupar todos os quadros altos e médios, seja em ministérios, em faculdades, em firmas, até em hospitais.



O grande plano é, quanto muito, de quatro anos, o que explica a pequenez de pensamento e a falta de visão personalizada por uma ministra das finanças que trata a economia do país como se fosse uma dona de casa maníaca, que, munida com uma tesoura gigante, tenta transformar um lençol de cama de casal numa bata para uma boneca diminuta? Corta, corta, corta. O resultado disso tudo é o que se vê: desempregados à espera do subsídio de desemprego durante largos meses, não semanas, sem receberem um tostão do governo que elegeram para os proteger.



Quão conveniente é, por isso, que o país fale de pedófilos e não da economia, do emprego, da falta de poder de liderança deste "governo" PSD/PP, da ausência dum cariz democrático, ou social, ou popular, da ausência de contacto ou de calor humano destes, que foram eleitos para proteger seus cidadãos!



O que fizeram? Absolutamente nada. Lamentaram que o país era um caos, e calaram-se. Então, onde estão as políticas de salvação? Portugal está, e por muito tempo tem sido, liderado por uma argamassa de cinzentos incompetentes que venderam os interesses do país, irresponsável e negligentemente, para fora.



Portugal precisa de quem tenha o brio e a chama suficientes para incendiar a paixão do povo deste país lindo, desta pérola do Atlântico, de ajudá-lo a ir ao encontro dos seus sonhos, acreditar em si, redescobrir as suas consideráveis qualidades e colocar Portugal num lugar de destaque entre a comunidade internacional.



O leitor pode apontar quem tenha feito isso nos últimos anos? O José Barroso está a fazê-lo? Caso contrário, se não se descobrir, e rapidamente, quem for competente para governar este país, os projectos audazes e brilhantes, que vão de mãos dadas com o espírito e a alma portuguesa, como por exemplo a EXPO 98, o Rock in Rio e o EURO 2004, todos com uma gestão excelente e uma preparação de que poucos países se poderiam gabar, perder-se-ão no mar da lamúria que assola Portugal.



Francamente, a paciência dos que, tanto lutaram, para fazer qualquer coisa deste rectângulo atlântico, começa a esgotar-se. Já que gostam de dizer que quem não está bem deve mudar-se... essa, começa a ser uma excelente ideia.


Timothy BANCROFT-HINCHEY - - - Director e Chefe de Redacção

20.4.04

A propósito.... 

Esta a propósito dos escândalos no mundo do futebol:
Em dad altura alguém das altas esferas do futebol português decidiu que as escolhas dos árbritos para os jogos de futebol profissional deveriam ser feito por sorteio. Então dizia-se que o sistema seria o mais imparcial: dentro duma daquelas taças tão ao gosto desses novos-ricos, colocar-se-iam bolas com os nomes dos clubes que se iriam defrontar e noutra, bolas em cujo interior estavam os nomes dos árbritos. E então tudo era transparente: tirava-se a bola do jogo e depois tirava-se a esfera com o nome do árbrito. Lindo! Imaculado! Só que...Só que....As esferas com os nomes de determinados árbritos "mais convenientes" tinham passado por um "estágio de algumas horas no congelador de um frigorífico vizinho". O Pseudo dirigente que faria o sorteio, escolheria , sem qualquer truque, uma bola...Et voilà! Sorteio feito! ´SÓ QUE NINIGUÉM SUSPEITAVA QUE HAVIA BOLAS FRIAS E BOLAS QUENTES!!!!Engenhoso não é?

15.4.04

Desabafos... 

A NOMENCLATURA DOS GASES COMPRIMIDOS E OPRIMIDOS...

AD VENTUS CORRUPTUS
QUI TRANSIT PER MAEDIAS VIAS,
QUI FECIT PUM,
ALIQUANDUM, PUM-PUM!
GENERALITAQUE..... PFSSSSSS...
(este é meu, só que tão antigo que também não me lembro, mas algures 6º ano liceu, alínea de Direito)

Com a devida vénia (só que já não me lembro de onde é que tirei isto...) aqui vai:

Condenado pelo Tratado de Genebra, odiado pelas ascensoristas e discriminado pela sociedade, o peido no elevador tornou-se o maior inimigo do homem moderno, ao lado de Bin Laden.
As mais recentes pesquisas confirmam que o hábito de soltar peidos no elevador é considerado a forma mais cruel de violência social, já que as vítimas são apanhadas desprevenidas, presas num recinto quase hermeticamente fechado e podem sofrer asfixia, dores de cabeça, vómito e revolta.
Como Evitar o Peido Elevador
Use as Escadas
Um método simples, eficiente e extremamente seguro é deixar de usar o elevador e começar a utilizar a escadaria do prédio. Se, subindo as escadas, você continuar a sentir cheiros suspeitos, isso só pode significar uma coisa: Quem soltava os peidos no elevador era você!
Precaução
Para os que não têm talento ou disposição, a melhor forma de evitar o peido no elevador é andar com uma garrafa vazia de Coca-Cola dois litros e meio no bolso. Quando sentir que o pum está na porta (do cu, não do elevador), abra a garrafa disfarçadamente e solte o peido dentro dela. Mas cuidado, pois a combinação de gás de Coca-Cola com essência de peido forma um poderoso explosivo e a qualquer descuido, tudo (inclusive o seu peido) pode ir pelos ares.
Coloque a Culpa na Velhinha
A última e mais utilizada opção é acusar a velhinha que está ao seu lado no elevador. As velhinhas, em geral, ficam tão amedrontadas e envergonhadas com a situação que acabam por se esquecer de negar a paternidade da “criança”. Você também pode contar com a possibilidade dela acreditar que foi ela mesma que soltou o peido, já que ela não anda segurando muita coisa com o seu cú aposentado. Mas, claro, essa última opção só vai funcionar se você, antes, já não tiver matado a pobrezinha com o terrível cheiro do seu peido!...
PASSEM UM BOM DIA (OU DIA BOM...)

13.4.04

Desabafos... 

O tão propagandeado MIBEL , a grande galinha dos ovos de ouro para as companhias eléctricas espanholas vai começar... Lá vamos nós começar a pagar a electricidade mais cara...ou pensam que os castelhanos queriam o mercado ibérico pelos nossos lindos olhos!!Como é que este governo ( e não só este...) pode ser tão trouxa?! Deve ser castelhano...Morte aos castelhanos e a quem os apoiar. É como os financiamentos dos projectos que o governo aprova. Quando se trata de dar o dinheiro é só dificuldades....As dificuldades são tantas, tantas...Tal e qual mente aquela treta de atribuir subsídios para fixar doutorados cá em Portugal.

Upa, Upa...Colinho do pai!!! 

Estou vivo e recomendo-me....

7.4.04

Upa, Upa...Colinho do pai!!! 

A decadência é uma coisa desgraçada. Ontem tive um tempo mais de decadência porque depois de ter gasto € 100 num médico e alto coturno porque o mangas é tão solicitado que só me podia ver as fotografias e gravações das entranhas depois da Páscoa! Bloody Hell!!! Lá tive de ir pra o centro de saúde junto do povo, que horror!! pedir para , por caridade, me verem as provas fotográficas e darem qualquer coisinha para me aliviar a Páscoa...Esperei duas horas mas deu para junto com as minhas dores ver um conjunto de gente que somos nós todos e pensar: Foi com gente desta que fomos comerciar ao cu do mundo, foi com esta gente que é muito ciosa das suas prerrogativas , que não mexe uma palhinha no seu país, mas que quando lhe dão um objectivo que se veja esfolam-se, esgadanham-se, comem terra se for preciso para atingir um objectivo que interiorizem como válido !!!! PORQUE É NÃO SOMOS SEMPRE ASSIM????
ME VOY. ADIOS!!! (?) NÃO, ADEUS, VOU-ME EM BOA HORA!!

5.4.04

Nova Corrida, nova viagem!! Suuuuubaaaa, suuuuubaaa, menina: o carrossel ainda pára mais uma vez! 

Pois é : nas doutas palavras de uma famosa mãe (professora) de uma não menos famosa professora, que também é mãe, mas também é filha, e dessa mãe...(tenho a impressão de que meti os pés pelas mãos....) ...bem , mas como ia dizendo.... .... .... bloody hell! Já não me recordo!Continuando: agora é o período, fim do... de modo que temos teoricamente de recarregar baterias, para nova viagem, em imersão, até ao final do ano.
Olha, hoje vou ficar por aqui porque me está a falhar a pachorra. Se ainda voltar, volto. Se não voltar, não volto!
Nova corrida, nova viagem.....

3.4.04

Aprender, aprender sempre...(onde é que eu já ouvi isto?) 

Um dia, o burro de um aldeão caiu a um poço.
O animal zurrou fortemente durante algumas horas, enquanto o dono procurava ajuda para o retirar. Não a encontrando, acabou por decidir que, sendo o burro já velho e estando o poço já seco, o melhor era tapar o poço e não valia a pena tirar o burro.
Pediu então ajuda a todos os vizinhos. Cada um pegou numa pá e começaram a atirar terra para dentro do poço. O burro, ao ver o que se estava a passar, começou desesperadamente a zurrar.
Mas, pouco depois, para surpresa de todos, calou-se, e só se ouvia o som de pazadas a cair. O aldeão, olhando para o fundo do poço, ficou surpreendido com o que o burro estava a fazer. Sacudia a terra que ia caindo nas costas e dava mais um passo para cima da terra.
Rapidamente, todos viram com espanto como o burro chegou à boca do poço, saltou por cima dos bordos e partiu...

A vida vai-te atirar muita terra para cima, terra de todos os géneros. O segredo para saíres do teu poço é sacudi-la e usá-la para dares um passo para cima. Cada um dos nossos problemas é um degrau para subir.

Assim, podemos sair dos vazios mais profundos, se não nos dermos por vencidos...

Ou seja... as reuniões são o poço; O C.D. atira-nos pazadas de terra; nós somos os burros.........o resto imaginem.........
otis raruta ed somet remoc ed somasicerp omoc...

Só para dizer.... 

I'm alive and kicking!
Não perdem pela demora...mas pelo sim pelo não, sentem-se porque isto pode demorar.... "isto" , é a minha ...."mood".
Ou seja....neste momento "I'm not in a good mood!"

This page is powered by Blogger. Isn't yours?